Segunda-feira, 31 de Maio de 2010

Updates meus

Acho que me faz bem mudar.

Mudar de lugar. De sítio. De condição. De cabelo.

Mudar. Essencialmente.

Há quem lhe agrade, muito mais, o conforto do déjà vu. Mesmo com a dita, tão malfadada e detestada monotonia.

Mesmo que reine algum desconforto. Mesmo que mereçam um pouco mais. 

 

Pois, a mim, acho que me fazem bem as mudanças.

Talvez porque, desde cedo, me habituei a mudar. A experimentar novos desafios.

Vivi em muitos lugares. Estudei em várias escolas públicas e, mesmo, privadas.

Trabalhei em vários lugares. Desde o mais remoto ao mais central e citadino.

 

Mas não só porque assim o ditou o destino. Também porque, por exemplo, na minha própria profissão, sempre que me era dada nova oportunidade de mudar, de experimentar, aí estava eu a concorrer, a fazer parte de novos projectos.

Nunca me arrependi.

Nunca me arrependerei.

 

Com tudo aprendi.

Com muito acertei.

Com pouco errei.

Com tudo vivi.

 

E, neste momento, não por especial desejo próprio, a vida tem-se encarregado de me transportar para os mais variados lugares, sem que eu, sequer, me tenha dado conta.

Ou, melhor, dei.

Mas gostaria que fosse eu a escolhê-los.

Sempre.

Mas a vida não é (sempre) assim, pois não?

Então, cliché dos clichés, há que tirar partido das coisas boas da vida, em todas as circunstâncias.

E que las hay.... las hay. Em todas as circunstâncias.

 

Tudo isto para vos dizer que gostei de voltar a terras germânicas.

E até aquilo que, normalmente, aqui me enfada, no fim de muito tempo sem o vivenciar, eis que se torna tão prazeiroso.

 

A saber, (pois que):

 

1- Já vesti casacos, calcei botas e andei à chuva, toda contente;

(Mas já podia fazer Sol!)

 

2 - Já vi na net - porque ver na TV sai caro - o festival da canção. E gostei tanto como os que gritaram de alegria com a canção vencedora;

(A propósito: se Portugal tivesse tantos vizinhos como a Alemanha (9), em vez de só ter nuestros hermanos e o mar ali do lado e mais abaixo, será que tinha mais votos? Esqueçam. Esqueci-me que ninguém viu e que era dia de Rock in Rio.)

 

3 - Já fui ao Bio e já comi no tailandês;

 

4 - Já varri o jardim, o passeio e a rua, tendo todo o cuidado para não varrer, também, as pedrinhas da calçada - que, pelos vistos, são essenciais à boa harmonia entre os povos;

 

5 - Já bebi espressos muito bons para a minha saúde mental e não só;

(E que ultrapassam os calcanhares dos preços das bicas de Portugal mas que ficam, por vezes, muito aquém da sua qualidade... mas isso agora não interessa nada.)

 

6 - Já falei com cães, gatos, melros e bebés, todos  encantados com a minha desenvoltura no falar... português;

 

7 - Já falei baixinho, em sussurros e andei em pontas - hábitos tão estranhos em mim, quando ainda são nove horas da noite e não tenho nenhum fifi a dormir;

 

8 - Já esbarrei com gentes, que me sorriram e disseram "hellos" de contente de me ver, mas que eu nunca tinha visto - nem elas a mim -  e retribui;

(Tinha-me esquecido como é agradável fazê-lo, sem pensarmos, à boa maneira que eu cá sei - pelo menos eu pensei há uns anos quando pela primeira vez me dei conta das boas regras de convivência destas gentes: estão já a meter-se connosco, que coisa, não se pode sair à rua!)

 

9 - Já me deitei às onze da noite e já me levantei às seis da manhã;

 

10 - Já acordei às cinco da matina com a senhora do quiosque a arrumar jornais;

 

11- Já vi carros engalanados com a respectiva bandeira amarela, vermelha e preta a esvoaçar ao vento... na mira do Mundial;

 

12 - Já vi o Mário das obras! Ó que saudades! Tão portuguesas! Não é que as obras ainda continuam na rua?

(Já saíram vizinhos antigos, já entraram novos, já  nasceram outros - não sei se morreu algum, mas não dei por nada - e as obras do "Mááário, la mia vita è un dolore" ainda continuam. Estavam cá pelo Euro, estão cá pelo Mundial. Não faltaria falar... noutros sítios do Euro, noutros lugares do Mundial. Aqui se calhar também falam. Mas para mau entendedor...)

 

 

 

 

 

 

 

Uma boa semana para todos.

Com Sol.

E com pouca chuva.

publicado por tresgues às 10:06
link do post | comentar
comentários:
De F a 31 de Maio de 2010 às 16:22
Não posso acreditar... de "papo" para o ar!!!
- A dormir la siesta? A olhar para o Mário pendurado num qualquer andaime?
A Fifi nas compras...
Vejo que já pôs a conversa em dia com todos os amigos.
Mudar é sempre bom; aprende-se, ensina-se, vive-se, supera-se e fortalece.
E, eu aqui na minha gostosa rotina (trabalho - casa)...
Bjs
De tresgues a 31 de Maio de 2010 às 16:43
O "papo p'ró ar" e aquela cara tão expressiva não revela nada?
Revela.
Vês a foto de cima?
Pois, precisamente!
Estava a ver quando as nuvens desapareciam.
Mas, nada de nada.
Chuva da boa.
Daquela dos "molha parvos" - dos que estão assim de papo p´ró ar... mesmo a precisar de levar com ela na cara.
Ralações!

PS: Como tu bem sabes, quem é feio fica sempre bem nas fotos. Já os outros, como eu, é... vice-versa! :(

Comentar post

.mais sobre mim

.pesquisar

.Dezembro 2015

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
29
31

.posts recentes

. Em...2016...

. Boas-Festas

. Não!

. O meu pica do sete

. As escolhas de tresgues

. Cenas quotidianas

. Coisas da vida

. As escolhas de tresgues

. As escolhas de tresgues

. Fifi, o malabarista

. Educação diferente. Porqu...

. Bom dia

. As escolhas de tresgues

. Coisas da vida política

. Fifi, o calhandreiro

.arquivos

.links

.subscrever feeds