Quinta-feira, 28 de Novembro de 2013

Prevenir nem sempre é o melhor remédio

Nós, comunidade médica, contribuímos para criar esta ideia de que quanto mais exames médicos e [mais] vigilância melhor e na realidade nunca se passou a mensagem de que quando nos submetemos a exames médicos corremos riscos. - Público.

Os danos causados por um rastreio excessivo são variáveis consoante o tipo de exame realizado, e vão desde a detecção de falsos positivos, o risco de detectar problemas sem importância clínica real e mesmo a realização posterior de tratamentos desnecessários.

A razão tarda, mas ainda bem que alguém ma dá.

Sempre fui defensora desta ideia e sempre bem apoiada quando, na Alemanha, me diziam: não se preocupe, se não tem sintomas, se se sente bem (e eu gostava disso); ou quando pedia uma mamografia porque já não a fazia há mais de dois anos : é de risco?, para depois a fazerem com a minha insistência, mas um pouco contrariados (e eu ficava a pensar no assunto, porque... eu gostava disso). Quando me sugeriram que comprimidos para a constipação? com eles isso demora sete dias, sem eles, demora oito. Tiveram razão. Quando um dia ouvi o investigador Sobrinho Simões dizer que se nós soubéssemos tudo aquilo por que passa o nosso corpo e que nunca chegamos a saber, porque ele nos defende tão bem, ficaríamos admirados (com o que já tínhamos tido). Também gostei disso. E logo nessa altura pensei muito bem no assunto.

Eu sou contra todos estes raios x que acabei de fazer nestes últimos dias, por mera rotina.

Eu sou contra comprimidos, por tudo e por nada.

Nunca tomei um comprimido para relaxar, para dormir, para a dor disto ou daquilo. Os que tomei foi porque era obrigatório (sem eles não faria a minha vida normal) e ainda hoje me deixam mazelas. Mas fizeram bem na altura. Portanto, resumindo e concluindo, cada um sabe de si, mas tudo quanto é demais enjoa, o que significa, neste caso, não faz nada bem à pessoa, e no meio termo é que está a virtude, ou seja nem tanto ao mar, nem tanto à terra.

Deve ser por isso que gosto de médicos bem dispostos, que não me ralhem porque não tomo, porque não faço, que receitam, receitam e que mandam fazer, e fazer, e fazer... exames. Esses não me apanham lá.

Protejam-se do frio e tenham um muito bom dia.

PS: Tenho tanto frio em casa como na rua. Deve se por isso que não me constipo. (Dois polares protegem-me da questão.;)

 

publicado por tresgues às 09:18
link do post | comentar

.mais sobre mim


. ver perfil

. seguir perfil

. 34 seguidores

.pesquisar

.Dezembro 2015

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
29
31

.Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

.posts recentes

. Em...2016...

. Boas-Festas

. Não!

. O meu pica do sete

. As escolhas de tresgues

. Cenas quotidianas

. Coisas da vida

. As escolhas de tresgues

. As escolhas de tresgues

. Fifi, o malabarista

. Educação diferente. Porqu...

. Bom dia

. As escolhas de tresgues

. Coisas da vida política

. Fifi, o calhandreiro

.links

.subscrever feeds