Quinta-feira, 5 de Março de 2009

Economia doméstica... É arte!

"Economia doméstica": o prometido é devido.

Aqui deixo outra transcrição - à letra - dos apontamentos do tal caderno de 68 - na altura, só para meninas - e do qual vos falei e transcrevi "umas pérolas" no post anterior.

 

Então, leiam, cultivem-se e espalhem. ;)

Quem sabe se não serão úteis nos tempos que correm.

 

Ecomonia Doméstica é a arte de governar uma casa e administrar o dinheiro de forma que as despesas não excedam as receitas e, se possível for, conseguir-se amealhar alguma coisa.

A economia é uma parte importantíssima da educação moral porque contribui muito para a vida honesta e tranquila do lar e ajuda a adquirir métodos de ordem, indispensáveis à boa administração de uma casa, por mais modesta que seja.

 

(Perceberam? Sim? Então não preciso de "fazer o boneco". Continuemos, pois com:)

 

Os preceitos básicos da economia

1 - Gastar menos do que se tem ou ganha;

2 - Pagar a pronto, não contraindo dívidas "sobre a que pretexto for", a não ser num caso de doença, uma operação de urgência, etc; 

3 - Não antecipar gastos sobre ganhos problemáticos. Não comprar nada, por mais barato que seja, de que se não necessite;

4 - Um dos principais preceitos da economia é saber comprar. Comprar bem, não quer dizer comprar barato, quer dizer comprar a preço reduzido em relação à qualidade da compra;

5 - É preciso "gastar-se"  (gostar-se?)  da ordem, sem nos tornarmos, a nós e aos outros, escravos dessa ordem;

6 - Não desprezar nunca as pequenas coisas. Na economia e na ordem, são elas que formam um todo harmonioso e perfeito;

 

Contabilidade doméstica

A contabilidade caseira permite à dona de casa conservar-se sempre ao corrente das despesas do lar, evitando dívidas e favorecendo a economia;

explica o emprego do dinheiro;

impede que se gaste mais do que se deve gastar, "indo-se" além do rendimento, sem se dar por isso;

basta uma simples agenda pautada, onde se possam anotar despesas e receitas.

 

Como alguém dizia: O bom-senso não nos obriga a atirar fora tudo o que era "da era do já era". Obriga-nos a fazer uma escolha das coisas: a guardar o que foi bom e a deitar fora o que não prestou!

 

Pois, concordo. Assim seja.

Mas aquela do "só contrair dívidas num caso de doença ou numa operação de urgência"... 

A operação de urgência não sendo de doença... Será de estética?   

 

publicado por tresgues às 09:01
link do post | comentar
comentários:
De BIBIA a 7 de Março de 2009 às 06:05
Já li esta "cartilha" hà alguns anos, sim senhor.
E resulta, resulta na sua prática.
Beijo
De tresgues a 7 de Março de 2009 às 08:35
Hum! Eu bem me parecia!
É que já tinha ouvido falar dos teus dotes de economia!
Agora já percebo. Leste há uns anos e... puseste em prática durante vários! Tão simples... Parabéns.

Comentar post

.mais sobre mim


. ver perfil

. seguir perfil

. 34 seguidores

.pesquisar

.Dezembro 2015

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
29
31

.Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

.posts recentes

. Em...2016...

. Boas-Festas

. Não!

. O meu pica do sete

. As escolhas de tresgues

. Cenas quotidianas

. Coisas da vida

. As escolhas de tresgues

. As escolhas de tresgues

. Fifi, o malabarista

. Educação diferente. Porqu...

. Bom dia

. As escolhas de tresgues

. Coisas da vida política

. Fifi, o calhandreiro

.links

.subscrever feeds