Terça-feira, 2 de Junho de 2015

Dia 2 também é dia!

Da criança.

 

"Brincar dá alma! E dá sabedoria."

 

Brincar tem riscos. O maior de todos os riscos é o das crianças crescerem à margem da infância. Comandados por pais e professores que ainda não perceberam que não é quem cresce mais depressa que cresce melhor. E, pior, ainda, a "mãe de todos os riscos" o risco de viver com adultos que estão longe de perceber que brincar é o património imaterial, mais delicioso e mais comovente, da Humanidade.

 

Por tudo isto, eu acho que, à porta de um recreio, devia estar um letreiro enorme dizendo: "reservado o direito de admissão", de forma a proteger os recreio s dos adultos abelhudos. Daqueles que acham que as crianças não sabem nem brincar! Quando, na verdade, sempre que as crianças parecem não saber brincar são os pais que lhes não contam histórias. Que as entregam a tabletes, a telemóveis e à televisão, como se cada um deles fosse um babysitter. Quando são eles que, ao jantar, não falam mas partilham uma telenovela. Quando são eles que não as deixam correr e sujar-se. Quando são eles que acham que tudo o que é vivo parece ser ameaçador, ou, até mesmo, perigoso. Ora, eu acho que se aprende tanto (ou mais) no recreio que na maioria das aulas. Recreio é escola de vida. É o sítio onde as crianças se educam umas às outras. é bom que haja um vigilante, sim, para as proteger dos excessos, por exemplo. Mas devia ser proibida esta tutela absurda que muitas escolas fazem do recreio. Aliás, eu acho que a escola ganharia se transportássemos o recreio para a sala de aula, porque, assim, ela seria mais plural, mais participada, mais democrática e mais inclusiva. Toda a gente nasce a saber brincar.  Mas si, há pessoas que se esqueceram da infância que tiveram  e há pessoas que nunca foram crianças. Umas e outras não sabem brincar. E, às vezes, estas pessoas a quem roubaram a infância parecem tornar-se tão invejosas (ou sentir-se tão ameaçadas com a infância da qual se desencontraram), que acabam afirmando que as crianças são cruéis umas para as outras , que têm brincadeiras estúpidas, que não sabem brincar,  que fazem muito barulho ou que têm brincadeiras muito agressivas.Eu acho que é tudo mais simples. Afinal, essas pessoas vivem sequestradas na pior saudade de todas: na saudade do brincar que nunca tiveram.

 

Brincar dá alma! E dá sabedoria. E abre, todos os dias, uma avenida onde o horizonte fica sempre mais além.

(Excertos/artigo, Eduardo Sá, Leya, Educação) 

 

PS: Aplaudo de pé, Dr. Eduardo!

Como costumo dizer muitas vezes: o problema é que todos nos querem tornar adultos. E, às vezes, muitas vezes, conseguem. É uma pena! Brincar dá alma! E sabedoria. Sim. Até aos adultos, acho eu. Vejam bem!

publicado por tresgues às 15:41
link do post | comentar

.mais sobre mim


. ver perfil

. seguir perfil

. 34 seguidores

.pesquisar

.Dezembro 2015

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
29
31

.Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

.posts recentes

. Em...2016...

. Boas-Festas

. Não!

. O meu pica do sete

. As escolhas de tresgues

. Cenas quotidianas

. Coisas da vida

. As escolhas de tresgues

. As escolhas de tresgues

. Fifi, o malabarista

. Educação diferente. Porqu...

. Bom dia

. As escolhas de tresgues

. Coisas da vida política

. Fifi, o calhandreiro

.links

.subscrever feeds