Quinta-feira, 2 de Maio de 2013

É o mundo, estúpido!

1 - A principal causa dos problemas do mundo de hoje é que os obtusos estão seguríssimos de si, enquanto que os inteligentes estão cheios de dúvidas.

Bertrand RusselL 

 

2 - O mundo estaria salvo se os homens de bem tivessem a mesma ousadia dos canalhas.

Nelson Rodrigues 

 

Mas, perante tanto canalha, há quem diga...

Só porque, neste mundo, dá muito trabalho não ser (estúpido e/ou canalha).

Boa semana.

publicado por tresgues às 09:41
link do post | comentar
Quinta-feira, 28 de Março de 2013

Boa Páscoa

A cadeira vai ficar vazia. Mas por pouco tempo. (Há que aprender com quem sabe).

Voltarei para as tolices do costume.

Pois parece que "Um tolo que não diz palavra não se distingue de um sábio que se cala."

(Moliére)

 

(foto minha)

 

PS - (de "PS" mesmo):

E há gente que não é nada tola. É sábia. E volta. E senta. E fala. E sabe falar. E mexe e remexe. E agita. E provoca admirações, já muito secretamente escondidas. E rancores e raivas. E estremece. E abana ao mais alto nível. E isto é política. "Quem tenta convencer uma multidão de que ela não está a ser tão bem governada como deveria ser, nunca deixará de ter ouvintes atentos e favoráveis."(Richard Hooker). E, ainda por cima, diz que não quer voltar a sentar na tal cadeira. E "Terás alegria ou poder, disse Deus; mas não terás ambos."(R. Hemerson). E pronto. É isto. A pessoa quer voltar a ser alegre. Só com umas pitadas de poder oratório aqui e ali. Que é como quem diz, todas as semanas. Em directo, ao vivo e a cores. E diz que "Não se faz o que se quer. Quer-se e vive-se: e lá vão dois".(Roman Rolland)

publicado por tresgues às 10:25
link do post | comentar
Sexta-feira, 1 de Fevereiro de 2013

A gente nunca sabe

É bom não depender de ninguém.

Mesmo. Em todos os aspectos.

 

A gente nunca sabe e acho que o que é bom é estarmos bem quando estamos vivos. E neste momento penso que, depois de todas as vidas diferentes que já vivi, sou uma pessoa muito privilegiada. Atingi duas coisas fundamentais na vida. Uma é: não dependo de ninguém. Outra é: ninguém depende de mim. Isso dá uma possibilidade de acordar todos os dias bem-disposta. É verdade.

(Alice Vieira) - Público.

 

É verdade.

É sempre bom lembrar. É sempre bom não esquecer. 

É um privilégio e devemos agradecer.

Agradecer por ter conseguido. Malgrado todas as grandes vicissitudes passadas. 

Malgrado aqueles pequenos males que todos temos. Todos os dias.

Sinal que estamos vivos.

(E a gente nunca sabe. Nunca sabe o dia de amanhã.)

 

Bom fim-de-semana. 

 

publicado por tresgues às 08:47
link do post | comentar | ver comentários (1)
Domingo, 23 de Dezembro de 2012

Boas Festas

"Não existe nenhuma fórmula para o sucesso, excepto, talvez, pela aceitação incondicional da vida e do que ela traz."

 

"Estar vivo, ser capaz de ver, andar, ter casa*, ouvir música, admirar pinturas - tudo é um milagre. Adoptei a técnica de viver a vida milagre a milagre".

 

"Quem ama a vida é amado por ela".

(Artur Rubinstein, pianista polaco, que perdeu toda a sua família na Grande Guerra.)

 

NOTA: Vi, ontem, um documentário na RTP2 sobre ele. Adorei. O documentário e a sua personalidade. A sua maneira de ser e estar na vida.  

*(casas - adaptado por mim) 

 

Boas Festas, Feliz Natal, Bom Ano. 

 

publicado por tresgues às 10:38
link do post | comentar
Terça-feira, 22 de Maio de 2012

Cenas quotidianas

- Ensaca no seu ou quer qu'ensaque eu?

A língua portuguesa anda muito traiçoeira.

Ou ando eu com a compreensão deveras atraiçoada. Ou coiso.

Talvez seja isso.

 

Raramente vou ao Intermarché porque fica mais longe de casa.

Ontem fui.

Como sempre, levo sacos meus e, nas outras superfícies mais perto de casa, já toda a gente me conhece e conhece os meus (giros) sacos e já ninguém me pergunta nada. Como de costume, faço passar o saco vazio à frente das compras para que verifiquem que não tem nada. Assim fiz. Mas oiço, e agora relato-vos com melhor ênfase e mais veracidade, para saberem bem como eu ouvi a coisa.

Então eu ouvi assim a coisa, dita com a maior das rapidezes:

- Ensácanoseu ou querquensáqueu?

Quando percebi, depois da repetição da coisa por umas três vezes, disse que sim, no meu.

Mas só me apetecia dizer:

- É claro quensáconomeu!

 

Haviadensacár nodequem?

Semprisónomeu!

Eu sei qu'áquemensáquenodosoutros, matámal! 

 

Bom dia.

publicado por tresgues às 08:46
link do post | comentar
Sexta-feira, 4 de Novembro de 2011

Sem escolhas

Mas com Eça. E com essas que a seguir se apresentam. Actualíssimas.

 

♣ "Nós estamos num estado comparável apenas à Grécia: a mesma pobreza, a mesma indignidade política, a mesma trapalhada económica, a mesmo baixeza de carácter, a mesma decadência de espírito. Nos livros estrangeiros, nas revistas quando se fala num país caótico e que pela sua decadência progressiva, poderá vir a ser riscado do mapa da Europa, citam-se em paralelo, a Grécia e Portugal"

(in As Farpas-1872)

 

♦ "Que fazer? Que esperar? Portugal tem atravessado crises igualmente más: - mas nelas nunca nos faltaram nem homens de valor e carácter, nem dinheiro ou crédito. Hoje crédito não temos, dinheiro também não - pelo menos o Estado não tem: - e homens não os há, ou os raros que há são postos na sombra pela política. De sorte que esta crise me parece a pior - e sem cura."

(in"Correspondência"-1891)

 

 

♣ "Diz-se geralmente que, em Portugal, o público tem ideia de que o Governo deve fazer tudo, pensar em tudo, iniciar tudo: tira-se daqui a conclusão que somos um povo sem poderes iniciadores, bons para ser tutelados, indignos de uma larga liberdade, e inaptos para a independência. A nossa pobreza relativa é atribuída a este hábito político e social de depender para tudo do Governo, e de volver constantemente as mãos e os olhos para ele como para uma Providência sempre presente."

 

(In "Citações e Pensamentos")

 

♦ "Ordinariamente todos os ministros são inteligentes, escrevem bem, discursam com cortesia e pura dicção, vão a faustosas inaugurações e são excelentes convivas. Porém, são nulos a resolver crises. Não têm a austeridade nem a concepção, nem o instinto político, nem a experiência que faz o ESTADISTA. É assim que há muito tempo em Portugal são regidos os destinos políticos. Política de acaso, política de compadrio, política de expediente. País governado ao acaso, governado por vaidades e por interesses, por especulação e corrupção, por privilégio e influência de camarilha, será possível conservar a sua independência?"

(In "O distrito de Évora! - 1867)

 

♣ "Os políticos e as fraldas devem ser mudados frequentemente e pela mesma razão."

José Maria Eça de Queiroz - 25 de Novembro de 1845/16 de Agosto de 1900

(via mail)

 

♥ Bom fim de semana.

E mudem. O quiserem.  Faz sempre bem.

publicado por tresgues às 09:07
link do post | comentar
Sábado, 15 de Outubro de 2011

Sem escolhas

Ontem, sexta, como vem sendo hábito, não houve "escolhas".

Tinha algumas, mas andam eles, por aí, a deixar-nos sem elas.

E fiz greve.

Esclarecido o assunto, deixo-vos com alguns pontos, algumas frases - que fui apontando - da entrevista de António Lobo Antunes, ontem, na RTP1.

Não são todas transcrições ipsis-verbis - porque ele falava e eu escrevia - mas quase todas:

 

♣ O que fizeste da tua vida? - perguntamos. E esquecemos: O que a vida fez de ti?

♣ Três coisas que não suporto: a mentira, a cobardia, a falta de rigor;

♣ Tive um carro quando tive dinheiro para o comprar;

♣ Olhai, olhai bem, mas vede!

♣ A amizade e o amor são instantâneos e absolutos;

♣ Tenho uma enorme desconfiança das pessoas que só gostam dos substantivos abstractos (honra, glória...);

♣ Um invejoso sofre muito, não é um homem feliz;

♣ O meu grande medo? A perda da capacidade de criar;

♣ Lutei para ser o melhor. E sou. E depois?

♣ Nascemos sozinhos e morremos sozinhos. Somos nós que temos de fazer as grandes decisões da nossa vida. Só temos de nos perguntar: "O que faria eu no meu lugar?", e não a outro qualquer: "O que farias tu no meu lugar?";

♣ Eu não consigo perdoar à classe política e aos grandes grupos económicos;

♣ Por que é que eles querem que as pessoas não sejam cultas? (referindo-se aos actuais programas de tv, como  a casa dos segredos, etc.)

♣ É preciso estar-se muito perdido, para se ser uma pessoa assim. Mas os outros é que vão sofrer com isso (sobre AJJardim);

♣ Estou sempre furioso com Deus mas, às vezes, ele constrói pessoas à sua medida. Mas demora muito...;

♣ Eu revolto-me é quando estou com saúde. Tenho forças para isso. Doente não.;

♣ Ninguém está preparado para morrer. Mas o pior é que poucos estão preparados para viver!

♣ Quem aposta no futuro é porque já se resignou no presente;

♣ A maçada da morte é que se fica morto muito tempo.;

♣ Única frase (não construída e dessas bonitas que geralmente as pessoas usam - sem serem sentidas - acrescento eu, tresgues) que recordo quando estava no hospital: "Aguenta-te!"

♣ Escrever um livro é como uma pessoa encontrar um botão na rua e construir, depois, um fato para o botão;

♣ Eu, agora, peço muito pouco. Peço mais para ter tempo.;

♣ Todos os homens são maricas.. Quando estão com a gripe... Com doenças graves, não.

 

Ai Ludes, Lurdes, que vou morrer... (vídeo e música de Vitorino)

 

Bom fim de semana.

(PS: Sendo difícil a selecção das citações, até gostava que escolhessem uma/ou duas e comentassem. Fariam, deste modo, umas "escolhas de tresgues" muito mais personalizadas... ;)

publicado por tresgues às 11:26
link do post | comentar | ver comentários (6)
Quarta-feira, 11 de Agosto de 2010

Vírgula... vírgulas. Vírgulas vírgula.

Se eu tenho problema com elas?

Gostaria de dizer que não e que são boatos da reacção!

Tenho tenho e volto a ter pelo menos reparei nisso mais acentuadamente há uns dias depois de ler uns posts mais antigos... que vergonha. Por isso hoje escrevo - como alguns escritores famosos - sem elas. Sem as respectivas do título deste post. Acho que se não fiquei roxa de vergonha podia muito bem ter ficado porque se umas vezes as causas foram problemas de teclado frases apagadas e reescritas onde existiam vírgulas que por acaso na nova frase já não faziam sentido nenhum e se deviam ter apagado (mas elas não se apagam sozinhas) noutros casos a vírgula está lá só para me humilhar.

Se quem muito fala pouco acerta o mesmo se dirá com toda a evidência de quem muito escreve - que é uma forma mais pensada de falar e que muito boa gente deveria adoptar por aí e que eu agora até adoptei por esta mesma razão e se não estão a perceber nada tanto melhor... Ou pior se neste caso vos fiz perder o vosso precioso tempo... mas como o mês é de Agosto e como bons portugueses que são devem estar todos de férias graças a Deus e por isso mesmo aqui vos falo deste assunto porque se um dia alguém me vier falar de vírgulas (até nem me importava mas não devo ter essa sorte) leva logo com este post... e "ai não vi porque estava de férias" - "e eu com isso?"... mas sim devo ter algum problema com as vírgulas mas já não é mau reconhecer e muito melhor seria emendar-me.

Mas como é possível logo eu que uma vez bem novinha e por causa de umas vírgulas mal postas por alguém numa missiva recebida entendi que não havia encontro e havia e fui toda a noite para o baile de finalistas movimentar-me livremente ao som de rocks e não só como se não houvesse amanhã - e fiz muito bem - mas havia amanhã e fiz esperar toda a noite o encontro ao pé da minha casa e o meu pai "Se fosse comigo não era assim. São todos uns bananas..." e eu: "Tivesse posto as vírgulas como deve de ser onde já se viu?". Foi do género "por isso amanhã não vou" - sem vírgula no não!

E agora aqui vos deixo com o que li nuns comentários de um texto da revista brasileira Veja já há uns tempos idos mas que guardei porque sei deste meu relacionamento com vírgulas vírgulas e mais vírgulas ou seja com vírgulas a mais... mas que se pensar um bocadinho mais até sei como se colocam vírgulas - não a menos nem a mais - mas vírgulas com jeito e a jeito de todos nos entendermos.

 

Campanha dos 100 anos da ABI (Associação Brasileira de Imprensa)
Vírgula pode ser uma pausa... ou não.
Não, espere.
Não espere.

Ela pode sumir com seu dinheiro.
23,4.
2,34.

Pode ser autoritária.
Aceito, obrigado.
Aceito obrigado.

Pode criar heróis.
Isso só, ele resolve.
Isso só ele resolve.

E vilões.
Esse, juiz, é corrupto.
Esse juiz é corrupto.

Ela pode ser a solução.
Vamos perder, nada foi resolvido.
Vamos perder nada, foi resolvido.

A vírgula muda uma opinião.
Não queremos saber.
Não, queremos saber.


Uma vírgula muda tudo!
 
ABI: 100 anos lutando para que ninguém mude uma vírgula da sua informação.


 
SE O HOMEM SOUBESSE O VALOR QUE TEM 
A MULHER ANDARIA DE QUATRO À SUA PROCURA.

Então agora responda lá:
Se você for mulher, onde colocava a vírgula?
(Certamente colocou a vírgula depois de MULHER.)
Se você for homem, onde colocava a vírgula?
(Colocou a vírgula depois de TEM. Pois claro.) 
 
PS: Vou estar - como já estou - um pouco mais ausente por aqui. Nada de especial. Calor e mais presente noutros lados. (Como na rua!)
publicado por tresgues às 11:07
link do post | comentar | ver comentários (6)
Sexta-feira, 14 de Maio de 2010

Sem escolhas

Todos os dias os ministros dizem ao povo

Como é difícil governar. Sem os ministros

O trigo cresceria para baixo em vez de crescer para cima.

(...)

 

Sem o ministro da Propaganda

Mais nenhuma mulher poderia ficar grávida. Sem o ministro da Guerra

Nunca mais haveria guerra.

(...)

 

Se governar fosse fácil

Não havia necessidade de espíritos tão esclarecidos

(...)

 

E só porque toda a gente é tão estúpida

Que há necessidade de alguns tão inteligentes.

 

Ou será que

Governar só é assim tão difícil porque a exploração e a mentira

São coisas que custam a aprender?

 

(Bertolt Brechet, "Dificuldade em governar", trad. de Arnaldo Saraiva)

 


 

(...)

Cozinheira que se esmera

faz a sopa de miséria

a contar

a contar

os tostões da minha féria

e a panela a protestar

 

Dás as voltas ao suor

fim do mês é dia 30

e a sexta é depois da quinta

sempre de mal a pior

 

E cada um se lamenta

que isto assim não pode ser

que esta vida não se aguenta

- o que é que se há-de fazer?

 

José Mário Branco, "As canseiras desta vida", baseado em "A mãe" de Bertolt Brechet)

 


 

"Os acontecimentos políticos humilham e desabonam mais a sabedoria humana do que quaisquer outros eventos deste mundo."

(Marquês de Maricá - Máximas)

 

"Quem tenta convencer uma multidão de que ela não está a ser tão bem governada como deveria ser, nunca deixará de ter ouvintes atentos e favoráveis."

(Richard Hooker - Of the Laws of Ecclesiastical Polity)

 

"É um erro popular muito comum acreditar que aqueles que fazem mais barulho a lamentarem-se a favor do público sejam os mais preocupados com o seu bem-estar."

(Edmund Burke - The President State of the Nation)

 

"A política é a arte de captar em proveito próprio a paixão dos outros."

(Henri de Montherlant)


 

Sem escolhas, as escolhas desta sexta.

E eu gosto muito pouco de política.

 

Bom fim-de-semana.

publicado por tresgues às 10:54
link do post | comentar | ver comentários (3)
Quinta-feira, 25 de Março de 2010

Calha sempre bem

Calha sempre bem receber um desafio quando:

 

1 - se tem mais que fazer,

2 - apetece fazer greve aos blogs;

3 - não apetece escrever;

4 - apetece viver a Primavera...

 

porque é só responder e já está!

 

Este foi-me "instruído" pela traquinas mother com este selo:

 
 
(gracias... a la mother) 
 
O desafio consiste em abrir o livro que se tem mais próximo de nós, na página 161, e escrever a 5ª frase completa.
 
O LIVRO:
"O livro das citações"
Paulo Neves da Silva - Casa das letras - 1ª edição - 2005.
 
 
A 5ª FRASE - pág. 161 - mais propriamente, a 5ª citação: 
"Um homem que está livre da religião tem uma oportunidade melhor de viver uma vida mais normal e completa."
Sigmund Freud
 
(Curiosidade na capa: "É bom ter livros de citações. Gravadas na memória, elas inspiram-nos bons pensamentos." - Winston Churchill.)

 

Já está.

Passar a cinco pessoas?

Muito difícil.

Todo o pessoal a quem poderia passar, ou já foi "instruído", ou está de greve aos blogs, ou não está, ou não responde a estas coisas, ou... ou... ou...

Então, considerem-se todos "passados", i.e., desafiados.

E fiquem à vontade.

Quem não tem blog pode desafiar-se aqui mesmo.

 

PS: Se eu gosto deste novo formato dos blogs Sapo?

Gosto. Mas não é a mesma coisa.

Mas amanhã, ou no outro dia, já me habituei.

Penso eu.

Gosto de variar a vida. De vez em quando.

publicado por tresgues às 10:44
link do post | comentar | ver comentários (4)

.mais sobre mim


. ver perfil

. seguir perfil

. 34 seguidores

.pesquisar

.Dezembro 2015

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
29
31

.Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

.posts recentes

. É o mundo, estúpido!

. Boa Páscoa

. A gente nunca sabe

. Boas Festas

. Cenas quotidianas

. Sem escolhas

. Sem escolhas

. Vírgula... vírgulas. Vírg...

. Sem escolhas

. Calha sempre bem

. Comichões, pruridos, urti...

. Frases há muitas, seu...

. Frases

. Frase do dia

. Há homens assim

.links

.subscrever feeds