Sexta-feira, 24 de Abril de 2015

24+1=25 (de Abril)

Excerto de "Abril mulher", CML, 1999:

 

Antes da Flor a Espera

Cansadas de esperar, muitas mulheres teimavam na espera.

Diziam adeus aos que iam para a guerra no Cais de Alcântara, partidos eles, partidas nós, o negro dos fatos das moças das aldeias, a aridez nos campos e nos lençóis mordidos nas noites desamadas, a face dos dias custosos, a ansiedade alongando o tempo. Dizer adeus, esperar os homens, chorá-los na ausência, carpi-los na morte, era parte do destino das mulheres.

Cansadas de esperar, muitas já nem esperavam. A curva dos dias sempre igual, as explorações redobradas que sofriam, no trabalho, na lei, na sociedade, na família, destino de mulher, de um povo dominado, o ser ainda mais dominada.

Aprisionadas, aprisionados, todos os que ousavam alterar o ritmo da submissão, num país, em si mesmo encarcerado num tempo crepuscular. (...) As mulheres, mais do que qualquer outro grupo, prisioneiras do silêncio, haviam desaprendido a palavra. O grito calado, doendo, dilacerante entre o querer e o poder. Entre a espera, que de tão longa era já desespero. que esperando desesperavam. E, no entanto, havia mulheres em movimento. Às vezes tantas. E havia movimento de mulheres. Decididamente, apostadas em abreviar o tempo de espera. Rasgando com mãos nuas, unidas mãos de mulheres,o tempo crepuscular que nos separava da manhã de Abril.

Outras, muitas também, esperavam sem ter consciência da sua espera. Viviam no seu país como que alheias. Reduzidas às quatro paredes do lar, nem sempre doce, quase nunca doce, o seu olhar não conhecia infinitos nem esperanças.  "(...) a mulher que está à janela só vê os muros das casas fronteiras", escrevia Maria Lamas, uma das protagonistas maiores da luta das mulheres.

As mulheres recolhidas em casa, vislumbrando à janela as casas fronteiras não sabiam que podia ser de outro modo. Mas de vez em quando uma estranha inquietação assinalava esperas inconscientes.

 

Depois da Espera a Libertação

Umas e outras vieram para as ruas depois de Abril. Muitas saíram logo de suas casas. Como aquela que levava cravos no regaço (...)

Relógio mulheres.png

 (foto daqui)

 

PS1: E hoje, com pena, ainda vejo mulheres à espera, sem esperança na libertação. 

PS2: Hoje é 24.

Amanhã, passado mais um dia é 25. Quem diria...

E portanto, nunca nos devemos incomodar. Ou ralar. Ou moer. Mas, sim, agir.

Quer dizer, mesmo que nos incomodemos, ou ralemos, ou moemos se não agirmos...

Agindo, (obrigada capitães!) se hoje é 24, amanhã pode ser, mesmo, 25. Caso contrário, até pode ser 25 no calendário, mas continuará a ser 24 nas nossas vidas. E como vêem, há aqui qualquer coisa que não combina. Não bate certo. E rala-nos. E moe-nos. E incomoda.

 

Bom (24+1=) 25 de Abril.

publicado por tresgues às 13:11
link do post | comentar
Sexta-feira, 20 de Fevereiro de 2015

As escolhas de tresgues

Hoje, só com nomes de mulheres.

Porque o 8 de Março aproxima-se, sim, mas é quando uma mulher quiser.

 

1 - Indira, noiva furiosa, casou com um convidado -. JN.

E pronto. É para casar, casa-se. Mas nunca com quem nos desiludiu.

Seja porque motivo for.

 

2 - Anastasia das SG usa um aparelho antigo! Que problema!

Se a pessoa tem os últimos modelos de tudo - em tempos de crise - é uma gastadora.

Se aquele ainda funcionava bem para mandar mensagens ao Grey...

Já a gaffe é outra coisa - Visão.

 

3 - Susana arranjou solução para o desemprego. Abriu uma sex shop na província.

Com apoio da mãe e da sogra.

E, assim, se mudam costumes.

E, assim, se resolvem os problemas da vida.

 

4 - Betsy, sete anos, pirateia rede wi-fi em dez minutos.

Assusta a facilidade com que o fez.

PS: A neta de uma amiga, de um ano, telefona-me muita vez à noite. Quando as últimas chamadas do dia da avó, foram para mim. No outro dia foi para o fixo e para o móvel. Tudo seguido.

 

5Simone de Oliveira volta ao festival da canção.

Adorei saber. Pela voz, por ser quem é. Parabéns!

Adelaide Ferreira e Sara Tavares também vão lá estar.

 

- Catarina Abuquerque, Sabe quem é? Eu não sabia.

Se não mudarmos o mundo, andamos cá a fazer o quê?

 

Bom fim-de-semana.

(P´rós homens e p´rás mulheres, claro.)

 

publicado por tresgues às 09:22
link do post | comentar
Quinta-feira, 29 de Janeiro de 2015

Amizades. Eles e elas vs eles mais elas

Acerca desta crónica : Amizades com sexo oposto, verdade ou mito"?

Eu acredito. É verdade. Em pequenina e, mais tarde, os meus maiores amigos eram meninos. Que me defendiam com garras e sem mariquices, ao contrário de algumas meninas... que eram demasiado piegas para o meu gosto. E um "pouco" cuscas. E maldizentas. E...

Só tenho a dizer o que sempre disse: sempre falei e ri com toda a gente (homens também são gente) e nunca ninguém (nenhum) me faltou ao respeito.

É como os piropos. Então mas, afinal, mulher honrada tem ouvidos? Levem a coisa com sentido de humor. Não defendem a liberdade de expressão? Hum...

Aliás, já vi alguns piropos feito por elas a eles (a coisa está a mudar, está) e eles nada ralados.

O problema, nesta coisa da amizade pelo género oposto é que há quem pense logo (em português, claro) I thinK he likes me, com outro sentido sem ser o da amizade. 

É ou não é?

Resto de muito bom dia.

publicado por tresgues às 09:47
link do post | comentar
Terça-feira, 20 de Janeiro de 2015

É. Deve ser isso.

Não concordo com algumas opiniões deste senhor doutor mas, desta vez, dou-lhe razão, quando escreve sobre as infidelidades de um senhor que até é casado.

Lá dizia Oscar Wilde:

A bigamia consiste em ter uma mulher a mais.

A monogamia a mesma coisa. 

 

Mas enfim.

Que eles gostam, a gente sabe.

Mas...

Deve haver mulheres que gostam que assim seja...ou... não se importam/fingem que não se importam/não se amam.

É. Deve ser isso.

 

PS: Ah... só para acabar, dizia assim Friedrich Nietzsche:

A mulher foi o segundo erro de Deus.

 

Hum...

Resto de boa semana.

publicado por tresgues às 09:50
link do post | comentar
Segunda-feira, 12 de Agosto de 2013

Cenas quotidianas

Numa loja de móveis com saldos. Não me apetece fazer publicidade. Nem vem ao caso.

A coisa estava séria, a ver pela cara dele. E estava a piorar.

 

Ele- Mas eu alguma vez compro alguma coisa sem gostar muito? Ah, gosto assim-assim, vou comprar...

Ela- Nha, nha, nha, nha (não dava para ouvir).

Ele - Mas eu algUMA VEZ COMPRO UMA COISA SE NÃO GOSTO MUITO... (REBÉUBéu, rebéubé, r...).

 

Saí do sítio. Fico sempre pouco bem, quando os ouço: "REBÉUBÉU, REBÉUBÉU" (em voz alta e, pior do que isso, prestes a explodir) e elas, "nha, nha, nha, nha" (em voz baixa). Ou vice-versa. Mas é, quase sempre "versa-vice". O que me incomoda.

E podiam ser meus filhos.

 

Boa semana. Meus filhos.

Menefreguem.

(Se não souberem o que isso é, informem-se. Vai fazer-vos bem.)

publicado por tresgues às 19:07
link do post | comentar
Terça-feira, 18 de Junho de 2013

Problemas do mundo resolvidos?

Cientistas descobrem bactéria que produz ouro puro - greensavers.

Pronto. Problemas do mundo inteiro resolvidos.

Hum!... Outros haviam de vir.Tal como estes, entre muitos, claro:

 

1)

Numa pequena cidade do interior, uma mulher entra numa farmácia e fala ao farmacêutico:
- Por favor, quero comprar arsénico.
- Mas não posso vender isso assim! Qual seria a finalidade?
- Matar meu marido!!!
- Pra esse fim então, piorou... Não posso vender-lhe!!!
A mulher abre a bolsa e tira uma fotografia do marido, na cama com a mulher do farmacêutico.
- Ah bom!... COM RECEITA É OUTRA COISA!!!
 
2)
Depois de meio século de matrimónio ele morreu. Pouco tempo depois também ela se foi para o céu...
No céu encontra o marido e corre rapidamente para ele e diz :
Queriiiiiidoooooo!!! Que bom encontrar-te!!!
Ao que ele responde:
Não me lixes Cristina! O contrato foi muito claro: ATÉ QUE A MORTE NOS SEPARE !!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!
 
3)
Era uma vez um moçoilo que se armou em poeta só para impressionar a sua namorada, já noiva e de casamento marcado.
Então escreveu-lhe o seguinte poema:

Que feliz sou eu, meu amor!
Já, já estaremos casadinhos.
De manhã o café  na cama com ardor,
Temos sumo, pão e ovos bem mexidinhos.
 
Já bem aconchegados
Tudo pronto bem cedinho.
Depois irei para o trabalho.
E tu para o mercadinho.
 
Regressas ao nosso ninho.
Rapidinho arrumas tudo.
E corres p'ro trabalhinho.
Para começares o teu turno.

Tu já sabes que ao fim do dia.
Gosto de jantar bem cedo,
De te ver com alegria,
Alegre, bonita e sem medo.

Pela noite é televisão,
Cineminha bem barato.
Nada, nada de shoppings.*
Nem de restaurantes caros.*

Tu vais cozinhar pra mim.
Comidinhas bem caseiras.
Pois não sou desses ruins
Que gosta de comer besteiras.

Não achas minha querida.
Que dias tão gloriosos?.*
Não te esqueças, meu amor.*
Que logo seremos esposos!.*
 
Em resposta a noiva escreve ao noivo
 
Que sincero meu amor!.
Que oportunas tuas palavras!.
Esperas tanto de mim.
Que me sinto intimidada.
 
Ovos mexidos não sei fazer .
Como a tua adorada mãe .
Meu pão torrado é p'ra esquecer,
De cozinha, meu amor,  nada sei !

De dormir gosto de mais
Até tarde, relaxada.
Ao shopping fazer compras tais.
Com o Visa barra dourada.
 
Sair com minhas amigas,
Comprar só roupa de marca,
Sapatos todos catitas,
E lingeries só das mais caras.*

Pensa amor, ainda nada está perdido.
A igreja não está paga.
Eu devolvo meu lindo vestido.
E tu teu fato de gala.
 
E Domingo bem cedinho.
Prá começar a semana.
Ponho aviso num jornal.
Com letras bem destacadas:

«Homem jovem e bonito
Procura escrava bem lerrrrrrda
Porque sua ex-futura esposa
Mandou-o ir à merrrrrrda!»

Resto de bom dia chuvoso.
 
publicado por tresgues às 12:39
link do post | comentar
Quinta-feira, 31 de Janeiro de 2013

Os donos de casa

Diz que, aqueles homens que são mais donos de casa são, assim, mais parecidos com aquelas mulheres que são mais donas de casa.

Confusão?

Segue-se esclarecimento.

Segundo um estudo baseado num questionário feito a 7002 pessoas, cozinhar reduz apetite sexual nos homens - Expresso.

Percebido?

Mas, as conclusões, o que indicam? Indicam que o homem não deve, por isso, ser incitado a deixar o aspirador.

Não senhor. Em caso algum. Digo eu.

Quem efectuou o estudo, foram homens ou mulheres? Duas mulheres. Conduzidas por um homem.

De qualquer modo, eu até sugeria que se invertessem os papéis que foram incutidos durante anos. Ou seja, eles na cozinha, no aspirador, na vassoura, etc., e elas no sofá, na TV, na saída com amigas, na jardinagem... Até dava gosto ser uma boa "dona de casa". Mas não gostava que eles só fossem o outro dono de casa. Sem aspas. Também gostava de os ver a labutar fora da casa. Tudo no seu meio termo, é que é bom. E bonito. Porque há homens demasiado donos de casa para o meu gosto. Portanto, cá p'ra mim é assim, e fora de bricadeiras: os dois na cozinha, os dois a trabalhar fora para contribuírem ambos para o sustento (insustentável) da casa, os dois a ver a bola, os dois a sair com os respectivos amigos - umas vezes juntos, outras em separado, como aprouver. Ele pode passar a ferro enquanto ela jardina, ele pode bicicletar enquanto ela está ali sentada a ler as notícias no café. Ou vice-versa. Resumindo, na minha consideração, vida a dois é tudo a dois, sim, mas com conta peso e medida - e, por isso, às vezes separados -respeitando os gostos, os amigos e o trabalho (sustentável) de cada um. Sempre que possível. 

É possível?

É.

PS1: Cá para mim, o dono de casa, mesmo trabalhando fora, ainda tinha de ser assim. No masculino. Isso é qu'era! Vá, assim, podia até viver só do rendimento de inserção (insustentável). Até que este lhe fosse pago. Vá.;(

PS2: Alguém me pediu a opinião? Não. É gratuita.

publicado por tresgues às 11:43
link do post | comentar
Segunda-feira, 7 de Janeiro de 2013

Eles e elas

Todos diferentes, todos iguais. Quase iguais.

Homens e mulheres. Rapazes e raparigas. Meninos e meninas.

Mas o que se passa é o seguinte e tão simples como isto:

♦Se elas falam da vida alheia - que não é exclusivo feminino -  é «coscuvilhice»;

♦Se eles falam da vida alheia - idem, idem, aspas, aspas -  é «curiosidade saudável».

Isto é, eles e elas não são assim tão diferentes como por aí se faz crer. O comportamento só é avaliado de forma diferente - segundo o estudo de uma portuguesa, professora da universidade de Leeds, no Reino Unido. «Tudo isto fruto das normas e regras incutidas pela sociedade, que determinam, por exemplo, que um homem não pode chorar ou que uma rapariga tem que ser magra.» - in Destak. (Acho que estas duas normas começam aos poucos, e muito, muito, devagar a normalizar. Pelo menos são faladas qb.)

O que ainda me faz alguma espécie é que ande por aí muito boa gente a defender o contrário. Gente que, mesmo que diga que concorda com esta evidência, os seus actos não têm correspondência com as suas falas. Ainda ontem ouvi o seguinte, num miradouro de Lisboa: "Olha, para isto. Elas são iguais a eles. Bebem e fumam tanto como eles."

Ou seja, não é o problema do fumar faz mal à saúde, ou o do beber demais pode ser prejudicial à mesma saúde. Não. Até porque nem vi ninguém a beber demais. (Lá mais para a noite até já poderia dizer o contrário, mas ainda era bem de dia.:) O problema é: "Olha-me para isto. Elas são iguais a eles!"

Segundo a investigadora este processo pode parecer «banal», mas tem «efeitos nocivos». Concordo plenamente.

E o livro «Fazendo Género no Recreio: a Negociação do Género e Sexualidade entre Jovens na Escola» poderá ser de grande ajuda, pois «quando as pessoas têm consciência críticas das coisas estas podem mudar». No entanto, quer parecer-me que ainda vai demorar uns "tempos dos grandes" a pôr as coisas no seu devido lugar. Perguntem-me lá porquê, se não souberem a razão (♦).

 

Muito boa semana.

Para eles e, evidentemente, para elas.

 

(♦) Os homens fazem a sua própria história, mas não o fazem como querem... a tradição de todas as gerações mortas oprime como um pesadelo o cérebro dos vivos. Karl Marx.       

publicado por tresgues às 11:26
link do post | comentar
Terça-feira, 27 de Novembro de 2012

Bom dia

 

Olha Senhor, até agora o meu dia está a ir bem: - Não fiz fofoca de ninguém; - Não perdi a paciência; - Não fui gananciosa, sarcástica, rabugenta, chata e nem irónica; - Não gritei com ninguém; - Não praguejei; - Não fiz cenas em frente ao espelho; - Não tive nem um ataque de ciúmes; - Não comi doces; - Também não fiz compras, nem dei cheques pré-datados; Mas protegei-me, Senhor, pois está chegando a hora de levantar da cama para ir trabalhar!                 

AMÉM!!!

 

Nota: Via mail, de um amigo homem, com o título "Vamos rezar mulherada". Há amigo assim. Muito machão. Pouco democrático. De visão unilateral. Mas, acredito, neste caso, mais brincalhão do que outra coisa. Quero acreditar, Senhor!  Tenho fé no assunto. Pouca, mas ainda tenho. Caso contrário a coisa não virava post de hoje. E sorrir também faz bem. Muito bom dia.

publicado por tresgues às 10:13
link do post | comentar | ver comentários (2)
Quinta-feira, 20 de Setembro de 2012

Há sempre alguém que nos diz

Lembram-se do que escrevi na aliena 7) das últimas escolhas de tresgues? "Descoberto o gene da felicidade. Nas mulheres, claro. Aos homens (a alguns) falta-lhes sempre qualquer coisa - Visão."

 

Pois tenho a resposta para a tal dúvida da "visão" masculina.

 

Um estudo diz que homens e mulheres enxergam de maneira diferente.

Se você chega em casa recém-saída do cabeleireiro, com um tom de tintura vermelha que nunca antes havia se atrevido a usar, e seu marido a recebe com um "que lindos esses seus novos brincos", em referência a um presente de uma prima que você quase deixou de lado, pense duas vezes antes de se irritar e gritar com ele. Não se trata – neste caso ao menos - de falta de interesse, atenção e muito menos de carinho.

De acordo com um estudo conduzido por pesquisadores dos Estados Unidos, os olhos dos homens são mais sensíveis aos pequenos detalhes e aos objectos que se movem em grande velocidade, enquanto as mulheres distinguem cores com mais facilidade.

E pode continuar a ler na BBC - Brasil.

 

E para além disso há a memória, a educação e os interesses a influenciarem toda uma visão que não os deixa ver se os cabelos foram ou não naquele dia ao cabeleireiro. E etc..

 

Então, agora que já sabemos, acham que vale a pena algum sacrifício? 

Quer dizer, vamos ao cabeleireiro e para que eles reparem no cabelo e em nós:

1º - Passamos-lhes à frente, sempre a grande velocidade. Para a frente e para trás. Para trás e para a frente,

2º - Abanamo-nos todas, inclusive a cabeça e o cabelo, para a esquerda e para a direita, para a direita e para a esquerda;

3º - Repetimos tudo diariamente para lhes activarmos a memória;

4º - Dizemos-lhes que os seus cabelos estão um espectáculo, mesmo que estejam horrorosos só para os educarmos pelo exemplo

(isto agora podia ter corrido melhor, porque não concordo, não acho muito católico, mas vá, é por uma boa causa: a boa educação deles);

5º -  Só falta activar-lhes o interesse pelos cabelos. Como? Não sei. Já me lembrei de, frente à televisão, num jogo televisivo falar constantemente dos cabelos dos seus jogadores preferidos. Mas não acho boa ideia. Não sei porquê, Alguém tem alguma opinião acerca da questão?

 

E acham de bom tom tudo isto? 

E acham que vai valer a pena pavonearmo-nos tanto? Mesmo que a alma não seja pequena?

Por mim, que prefiro um cabelo despenteado, ao natural, está resolvida a questão.

A questão da tal falta dos homens deixou de ser uma questão.

Se não vê? É porque não mexe?

Não mexe, não repara. Não vê. Sem problemas. Não falo mais nisso. Ponto final.

Há-de haver alguém mais educado, com melhor memória e mais interessado.

Há sempre alguém que nos diz.  

(E a pessoa ou tem cuidado ou não.)

 

publicado por tresgues às 10:12
link do post | comentar

.mais sobre mim


. ver perfil

. seguir perfil

. 34 seguidores

.pesquisar

.Dezembro 2015

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
29
31

.Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

.posts recentes

. 24+1=25 (de Abril)

. As escolhas de tresgues

. Amizades. Eles e elas vs ...

. É. Deve ser isso.

. Cenas quotidianas

. Problemas do mundo resolv...

. Os donos de casa

. Eles e elas

. Bom dia

. Há sempre alguém que nos ...

. "Poli" qualquer coisa

. E Deus fez a mulher

. Vai p'raí uma roubalheira...

. Updates do dia 8 de Março...

. As escolhas de tresgues

.links

.subscrever feeds